Escolha uma Página

Para quem não é do ramo, é normal pensar que a contabilidade é uma só – uma única ciência voltada ao estudo do patrimônio das entidades, seus fenômenos e suas variações.

Porém, o que muitas pessoas não sabem é que a contabilidade pode ser tanto voltada para o público interno de uma empresa, como externo, fornecendo informações úteis para os gestores ou para os órgãos reguladores, como o Fisco.

Se você nunca ouviu falar sobre contabilidade gerencial e contabilidade fiscal, ou não sabe exatamente qual a diferença entre elas – e como cada uma pode contribuir para a sua empresa, continue a leitura.

Contabilidade gerencial e contabilidade fiscal: o que são e quais as suas diferenças?

Que a contabilidade é uma ciência de suma importância para a vida financeira e tributária de qualquer negócio, todo mundo sabe. Porém, nem todos imaginam que ela pode ser dividida em diversos ramos, com focos igualmente distintos.

Dentro de uma empresa, as contabilidades mais importantes e que recebem maior ênfase são a gerencial e a financeira.

A contabilidade gerencial é aquela que identifica, interpreta, mede e avalia todas as informações financeiras que podem ser usadas pela administração da empresa, visando o planejamento, a avaliação ou o controle.

Assim, podemos entender que a contabilidade gerencial é capaz de fornecer informações úteis, sucintas e claras para os gestores, favorecendo o controle e a administração do negócio.

Nesse tipo de contabilidade, o contador não está preso a nenhuma obrigação fiscal, sendo que o administrador é quem pode determinar sobre quais procedimentos ele precisa de mais informações para guiar a sua tomada de decisões.

Algumas características da contabilidade gerencial são: confiança, comparabilidade, detalhamento adequado, relevância e tempestividade.

Já a contabilidade fiscal é aquela capaz de apurar e conciliar a geração de tributos de uma entidade. Ou seja, ela se baseia nas normas fiscais estabelecidas pela lei de cada país, estado ou município, contemplando o registro dessas operações para a apresentação de declarações e pagamento de impostos.

Na contabilidade fiscal, a principal preocupação dos contadores é atender ao Fisco, ou seja, todos os registros financeiros devem ser feitos apenas com o intuito de pagar os impostos e atuar dentro da lei.

Contabilidade gerencial ou fiscal: qual é mais importante para o meu negócio?

Infelizmente, hoje muitos empresários vêem a contabilidade apenas como um “gasto extra” ou uma “mera formalidade”, justamente porque apenas enxergam valor na contabilidade fiscal.

Ou seja, para eles, a contabilidade se resume a uma atividade que visa, unicamente, enviar informações ao Fisco e pagar impostos, sem agregar nenhum valor ou diferencial as suas ações.

Porém, a contabilidade não precisa (e nem deve) ser encarada apenas dessa forma. E isso também cabe aos próprios contadores, explicando e ensinando as inúmeras possibilidades de uso dessa ciência.

Ao utilizar a contabilidade gerencial, os empresários conseguem ter sempre à mão informações e dados precisos e atualizados sobre a condição financeira dos seus negócios, melhorando a sua tomada de decisões e a forma como gerenciam seus negócios, aumentando a lucratividade, promovendo o crescimento sustentável e cortando gastos.

Na verdade, muitos estudiosos garantem que a contabilidade gerencial é, em suma, o principal objetivo dessa ciência, trabalhando de forma a auxiliar os gestores e administradores a tornarem suas empresas muito mais rentáveis e bem ajustadas financeiramente.

É através da contabilidade gerencial que um empresário saberá, por exemplo, quanto vendeu em cada mês e se essas informações estão de acordo com os meses ou anos anteriores, indicando se o seu negócio está crescendo ou perdendo mercado – e assim pensar em ações que ajudem a reverter esse quadro, antes que seja tarde demais.

É também com a contabilidade gerencial que os empresários podem entender quais são os custos do seu negócio, ou seja, o quanto é preciso gastar para começar a gerar receita. Se esse custo estiver acima ou abaixo do esperado ou do analisado nos últimos meses, também pode ser necessário que determinadas ações sejam tomadas, buscando sempre o equilíbrio financeiro da empresa.

A contabilidade gerencial permite ainda:

  • avaliar se o capital de giro está ou não adequado;
  • avaliar o lucro ou o prejuízo dentro de um determinado prazo;
  • analisar o impacto das despesas mensais e se estas estão estáveis, aumentando ou diminuindo;
  • entender as leis para saber se haverá, por exemplo, suporte legal em caso de falência ou de demandas judiciais.

Por todas essas utilidades práticas e dada a sua importância, é muito mais interessante que os empresários invistam na contabilidade gerencial, modificando o “foco” e a maneira como encaram esse setor tão importante para a sua empresa.

Qual o papel do contador nessa mudança de mentalidade?

Encarar a contabilidade de uma forma diferenciada dentro de uma empresa exige muito mais do que apenas entender as diferenças entre cada abordagem, mas também uma proatividade dos seus contadores.

Esses profissionais devem estar preparados para atuarem de maneira a oferecem informações e subsídios aos gestores, preparando relatórios mensais com informações importantes, dados corretos e que, claro, consigam dar suporte aos gestores em suas tomadas de decisões.

Embora atender às exigências do Fisco seja importante, é essencial que os contadores também “abram a sua mente” e entendam a importância que a sua atividade tem hoje dentro das empresas, oferecendo um serviço muito mais alinhado com a realidade do negócio para o qual trabalha.

Com um mercado cada vez mais competitivo e globalizado, tomar decisões importantes com base no famoso “olhômetro” ou no “eu acho que” pode se configurar em riscos enormes e perdas significativas – e cabe ao contador explicar essas possibilidades e fornecer informações ricas, detalhadas e em linguagem acessível que permita uma tomada de decisões acertada.

Afinal, lembre-se que você é mais do que apenas o “responsável pelo pagamento dos impostos” e pode ajudar a modificar a realidade da empresa, detendo informações vitais para o funcionamento e a expansão do negócio, sempre acompanhando as modificações do mercado e as exigências dos gestores.

Como você pode notar, é essencial compreender as diferenças entre a contabilidade gerencial e fiscal, para também modificar a forma de pensar e agir dentro do seu negócio, melhorando a sua vida financeira e o seu nível de competitividade.

Se você gostou desse conteúdo, curta a nossa página no Facebook e receba sempre dicas interessantes como essa!